Arquivo do mês: fevereiro 2017

Espelho

Simples reflexo que encerra tudo o que a vida nos deu: olhos, cabelos, pele morena, lábios, braços, o que houver em cena.

Olhar para ele nos faz tentar descobrir o encoberto: forte, fraco, errado ou certo, medos, fome, guerra ou paz.

Meros momentos de encanto, brincar com o espelho nos traz: devaneios de garota, sonhos de criança, restos de muita esperança.

O tempo, esse velho inimigo, muda de cara o brinquedo, fazendo da fantasia, foco de muito segredo.

Olho de novo pra ele, vejo coisas que não via. Como pode um espelho mostrar medo e alegria?

Quem olha é que põe no brinquedo a força que quer ou que sente. Podem-se ver simplesmente rostos, gestos, corpos, gente.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poetando, Sampa dentro da gente

Lago

Lago espelho calmo

Fina pedra rola

Causa grande espanto

Margem branca assola

 

Fica marca doce

Monta guarda breve

Como alma fosse

Quase sempre escreve

 

Muda a cor do ramo

Lua que consola

Outra vez, de novo,

Pensamento isola

 

(sobre o momento de escrever)

Deixe um comentário

Arquivado em Histórias da cidade de São Paulo, Poetando